Receba nossas novidades

Insira o seu endereço de email e receba todas as atualizações do blog!

Enviar

Agende sua aula experimental

Valor de: 1 + 8 =

Conecte-se Conosco

 
Instagram-Blog-de-Daltro-Emerenciano2

Supercompensação no treinamento: aprenda a equilibrar exercício e recuperação

Quando um indivíduo treina, uma série de estímulos "perturba" o seu estado biológico normal por meio de uma maior utilização de energia, cujos resultados são a fadiga e a alta concentração de ácido lático no sangue e nas células, após o treinamento, o organismo entrará na fase de restauração onde irá repor as fontes de energia bioquímicas, para que haja um comportamento biológico normal, chegando a uma homeostase do organismo (*a homeostasia define um estado de equilíbrio fisiológico de funcionamento do organismo humano), ocorrendo a supercompensação.

Nosso corpo se mantém em um estado de homeostase, onde está equilibrado e mantém uma estabilidade de mecanismos fisiológicos e metabólicos. Qualquer alteração faz com que esta homeostase seja quebrada, dentre elas: temperatura, alimentação, ambiente, estresse, emoções e exercício físico. Essa quebra pode parecer algo ruim, mas é extremamente importante para nossa sobrevivência e para que sejamos mais resistentes. É muito importante também que esta homeostase seja quebrada para que o corpo melhore suas funções fisiológicas e metabólicas, tornando-as mais eficientes.

Pois bem, quando executamos um exercício físico esta homeostase é quebrada e diversas reações ocorrem em nosso organismo, como elevação da pressão arterial, uso maior das reservas energéticas, elevação dos batimentos cardíacos e, consequentemente, da circulação. Resumindo, o exercício físico é um agente estressor dentro de nosso metabolismo.

Quando nos exercitamos acima dos níveis que o corpo está adaptado, causamos diversas "agressões" ao organismo, como micro lesões musculares, quebra das reservas de energia e outros fatores. O corpo, no pós-exercício, então, busca repor e consertar o que o exercício causou. Numa atitude para manter sua sobrevivência não apenas repõe o que foi perdido e depletado, mas aumenta os níveis que tínhamos antes do exercício. Essa é uma atitude de precaução do nosso organismo.

De maneira bastante simplificada, é assim que ocorre o fenômeno da supercompensação e é dessa forma que o treinamento constante consegue aumentar os níveis fisiológicos e metabólicos, além de promover uma resistência cada vez maior. Aplicando isso ao treinamento físico, podemos afirmar que de maneira simplória, é assim temos a hipertrofia, aumento da força e da resistência e todos os outros componentes.

Aplicar e entender o fenômeno da supercompensação é fundamental para que os resultados sejam satisfatórios, independente dos objetivos e do que a pessoa for praticar. Com isso fica evidenciado o quanto o treinamento físico tem relação com os períodos de descanso e que estes não podem de maneira alguma ser negligenciados durante o treinamento.

Caro seguidor do Kilorias espero ter contribuído com mais essa informação e não se esqueçam de procurar orientação de um Profissional de Educação Física qualificado.

Artigos relacionados

Benefícios do Kettlebell para um corpo saudável

Depois de contar sobre a origem do Kettlebell no post anterior, hoje falarei sob...

Publicado em 10/12/2014 Continue Lendo...

Saiba sua quantidade de carboidrato por dia de treino

Na prática clínica do nutricionista, existe uma metodologia de cálculo dos nutri...

Publicado em 15/12/2014 Continue Lendo...

O “poderoso” levantamento terra: o exercício que recruta diversos músculos do co

Um dos tradicionais exercícios do treinamento é o Deadlift (peso morto), mais co...

Publicado em 15/12/2014 Continue Lendo...